Número total de visualizações de página

domingo, 30 de junho de 2013

"Os Ossos Do Ofício" — Entrevista na revista Cinéfilo, nº 8, 22 a 28 Novembro de 1973


sábado, 29 de junho de 2013

FUGAS DE INFORMAÇÃO NOS CONSELHOS DE MINISTROS..OFF

Ministros Fugas de informação lançam desconfiança no Governo
Só o primeiro-ministro Passos Coelho e o ministro Adjunto Miguel Poiares Maduro ficaram com as versões integrais dos documentos centrais da agenda do Conselho de Ministros, realizado no passado fim-de-semana. A intenção, explica hoje o Expresso, é evitar fugas de informação para os meios de comunicação, que podia tornar-se mais fácil com o acesso de todos os ministros aos documentos.
Fugas de informação lançam desconfiança no Governo
DR

Novas regras protegem o "comum dos cidadãos" do resgate à banca

"Os depósitos inferiores a 100 mil euros serão excluídos permanentemente, sendo que os de particulares, de microempresas e de pequenas e médias empresas (PME) vão beneficiar de uma protecção mais elevada face aos de outros credores e aos depósitos de grandes companhias."

"Vota Portugal"

A ideia é inovadora e pioneira em Portugal. A "Autárquicas" é uma aplicação que permite conhecer melhor os candidatos às eleições (na perspetiva do utilizador) e reduzir custos e aumentar a eficácia da campanha eleitoral (na perspetiva do candidato).
A aplicação faz parte da plataforma "Vota Portugal" que permite aos candidatos "serem eles próprios a criarem as suas próprias notícias, sondagens e notificações para os telemóveis dos eleitores que utilizem a aplicação", diz Fábio Ferreira, criador da plataforma e da aplicação "Autárquicas", em declarações ao JN.

Vota Portugal - acompanhe as eleições em Beja

Vota Portugal - acompanhe as eleições em Beja
Bem-vindo ao Vota Portugal, a melhor fonte de novidades sobre as eleições autárquicas de 2013 em Beja.
Comece desde já a acompanhar os seus candidatos preferidos, a conhecer os seus projectos, notícias e ideias.
Receba todas as novidades sobre estas eleições e sobre o seu concelho, e dê a sua opinião e contributo para que os candidatos façam de Beja um sítio melhor para viver.
Em qualquer lado, a qualquer hora, Vota Portugal é a plataforma certa para uma comunicação directa entre si e os candidatos.

PCP quer ganhar a Câmara de Beja

Em declarações à Rádio Voz da Planície, Miguel Madeira, responsável da Direcção da Organização Regional de Beja (DORBE) do Partido Comunista Português (PCP), afirmou o desejo de que a CDU venha a ganhar em Beja.
Para além de ganhar em Beja, este dirigente comunista fixou como objectivos eleitorais do partido a manutenção das câmaras que estão na posse da CDU assim como o aumento do número de votos.

António Sebastião tenta “transferência” de Almodôvar para Beja

António Sebastião, presidente da Câmara Municipal de Almodôvar, foi o nome escolhido pela concelhia para liderar a lista do PSD à Câmara Municipal de Beja.
Sebastião está no terceiro mandato em Almodôvar pelo que se encontra impedido de de recandidatar neste município.
Em declarações à Rádio Pax, o candidato declarou que o PSD “não deve acomodar-se a ser uma espécie de fiel da balança (…), deve assumir-se como uma força política (…) com todas as condições para poder vir a ganhar a Câmara de Beja” 

“Por Beja com Todos”: Movimento independente apresenta candidatura

O movimento “Por Beja com Todos” foi recentemente apresentado na capital do Baixo Alentejo com o objectivo de se candidatar às eleições autárquicas 2013.
O movimento é liderado pelo ex-comunista Lopes Guerreiro. À agência LUSA um membro da comissão dinamizadora do moviumento referiu que ”num sentido mais específico e no imediato”, o “Por Beja com todos” visa “a construção de um projecto alternativo, independente, concretizável a quatro anos e ajustado à realidade dos tempos actuais”.
Os promotores do movimento pretendem que o mesmo não se esgote nas eleições e que perdure para além delas como fórum de discussão das problemáticas do concelho de Beja. 

Jorge Pulido Valente recandidata-se a Beja pelo PS

Nas eleições autárquicas de 2013 o PS irá voltar a apresentar Jorge Pulido Valente como candidato a presidente da Câmara Municipal de Beja.
Após 33 anos de domínio da CDU em Beja, Jorge Pulido Valente liderou as listas do PS em 2009 levando à conquista da maioria absoluta no executivo camarário apesar de a CDU manter a liderança na Assembleia Municipal. 

Movimento “Por Beja com Todos” convida munícipes a escolher candidatos

No blogue do movimento independente  ”Por Beja com Todos” foi lançado um convite à população para a participação na escolha dos candidatos aos órgãos autárquicos na eleições de 2013.
O processo passará pela sugestão de nomes pelos cidadãos durante o mês de Dezembro, selecção de candidatos a candidatos pelos órgãos dirigentes do movimento em Janeiro, e votação destes nomes, novamente pela população em Fevereiro de 2013.
Passado este processo, o movimento independente escolherá os candidatos “tendo em conta os resultados das votações, os critérios definidos e ouvidos os votados”.
Os critérios de selecção são:
Vontade; Identificação com os princípios do movimento; Disponibilidade; Idoneidade; Competência; Experiência; Liderança; Trabalho de equipa; Capacidade para o diálogo; Conhecimento do concelho; Notoriedade / Reconhecimento e Simpatia. 

Fernando Savater

Fernando Savater, filósofo agnóstico, analisa com elegância e ironia os Dez Mandamentos, aproximado-os do ponto de vista so século XXI. Sem afastar da realidade e sem esquecer as questões que nos interessam a todos, esta obra percorre os Dez Mandamentos um a um, desde o "amarás a Deus sobre todas as coisas" até ao "não cobiçarás os bens alheios" e à sua explicação histórica, passando pela ambígua proibição de roubar ou dever de honrar os progenitores, Fernando Savater oferece ao leitor uma reinterpretação moderna e universal dos principais tabus e preocupações humanas.

Ficha detalhada: "Os Dez Mandamentos no Século XXI" de Fernando SavaterSAVATER, FERNANDO



"A quem rouba pouco chamam-lhe gatuno e metem-no na cadeia; pelo contrário, a quem o faz em grande escala chamam-lhe grande financeiro e recebe todo o tipo de elogios e felicitações pelo seu espírito empresarial." Quem isto escreve é um filósofo espanhol que, embora ateu e anticlerical, muito estimo: Fernando Savater, que acaba de publicar um pequeno livro de reflexão sobre - é este o título - Os Dez Mandamentos no Século XXI."

Passos Coelho e Cavaco Silva recebidos com vaia no 10 de Junho

http://www.publico.pt/n1596963

O acesso à prestação RSI


O acesso à prestação RSI está dependente de o valor do património mobiliário e o valor dos bens móveis sujeitos a registo, do requerente e do seu agregado familiar, não serem, cada um deles, superior a 60 vezes o valor do indexante de apoios sociais. (€ 25.153,20).
Apenas têm acesso ao Rendimento Social de Inserção, as famílias cujo: 
• Valor do património mobiliário (depósitos bancários, ações, certificados de aforro ou  outros ativos financeiros) não seja superior a € 25.153,20, (60 vezes o valor do  indexante de apoios sociais).
• Valor dos bens móveis sujeitos a registo (veículos automóveis, embarcações,  motociclos) não seja superior a € 25.153,20, (60 vezes o IAS).

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT)


Site EnterpriseSnap
A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) acaba de emitir um comunicado informando  " que até ao dia 15 de Outubro não serão aplicadas quaisquer sanções no caso de ausência de comunicação electrónica prévia dos documentos de transporte, desde que a comunicação esteja regularizada até àquela data."

O novo sistema tem a data de entrada em vigor o próximo dia 1 de Julho de 2013, no entanto, motivado por todas as questões técnicas que têm acontecido nos últimos tempos, era previsível esta abertura por parte da AT.

A referida nota de imprensa não anula a necessidade de comunicação prévia, apenas permite uma fase de adaptação até ao dia 15 de Outubro, sendo que até essa data todos os documentos entretanto emitidos terão de ser igualmente comunicados.

A enterprisesnap irá no decorrer dos próximos dias dar mais informações sobre como proceder para actualização de todas as aplicações para o cumprimento da directiva.

Sendo que esta nota de imprensa vem retirar alguma da pressão existente, recomendamos a actualização o quanto antes.


Sem mais,

Enterprisesnap - Software de Gestão

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Sua Excelência Nelson Mandela


Homenagem à porta do hospital onde Mandela está internado Fotografia © Dylan Martinez/ Reuters
Tente estes também:
 
Sua Excelência
Nelson Mandela
Medalha Nobel
1º presidente da África do Sul África do Sul
Mandato 27 de abril de 1994
a 16 de junho de 1999
Vice-presidente Frederik Willem de Klerk
Thabo Mbeki
Antecessor(a) Frederik Willem de Klerk (Presidente de Estado)
Sucessor(a) Thabo Mbeki
19º Secretário-geral do Movimento Não-Alinhado
Mandato 3 de setembro de 1998
a 14 de junho de 1999
Antecessor(a) Andrés Pastrana
Sucessor(a) Thabo Mbeki
Vida
Nome completo Nelson Rolihlahla Mandela
Nascimento 18 de julho de 1918 (94 anos)
Mvezo, Cabo Oriental,
Flag of South Africa 1928-1994.svg União Sul-Africana
Nacionalidade Sul-Africano
Alma mater Universidade de Fort Hare
Universidade de Londres
Universidade da África do Sul
Universidade de Witwatersrand
Primeira-dama Winnie Madikizela-Mandela; Graça Machel
Cônjuge Evelyn (1944-1957), Winnie (1957-1996), Graça Machel (1998-presente)
Partido African National Congress Flag.svg Congresso Nacional Africano
Religião Metodista
Profissão Advogado
Residência Joanesburgo
Assinatura Assinatura de Nelson Mandela
Filhos Madiba; Makaziwe (2); Makgatho; Zenani; Zindziswa
 

O prisioneiro 46664


46664, o número de Mandela, na Ilha Robben.
Enviado para a prisão da Ilha Robben, lá ocupa a cela com número 466/64, que tem as dimensões reduzidas de 2,5 por 2,1 metros, e uma pequena janela de 30 cm
Na prisão ficou privado das informações do mundo exterior, pois lá não eram permitidos jornais.49 Contudo, aprendeu a pensar a longo prazo, e procurava passar esta forma de raciocínio aos mais jovens, que cobravam dele respostas imediatistas às autoridades.50
A mãe de Mandela o visitara em 6 de março de 1966 e depois, no ano seguinte, em 9 de setembro; em ambas as ocasiões o filho instara sem sucesso, como também já fizera com a esposa Winnie, para que ela fosse morar na casa deles, em Joanesburgo, onde teria mais recursos de saúde do que no campo. Após esta última visita, ele teve a sensação, durante a despedida, de que era a última vez que veria a velha senhora, então com 78 anos de idade; de fato, Nosekeni Fanny veio a falecer em 26 de setembro de 1968.51 Sua mãe se fora acreditando que o filho fosse um criminoso, pois ela nunca entendera sua luta, fato que o entristecia.52
A pedreira da Ilha Robben.
Durante seu cárcere, segundo testemunhou Ahmed Kathrada, Mandela só perdeu a calma em duas ocasiões, quando os guardas ofenderam a moral de Winnie.53 Ali resolveu que precisava aprender a língua e a cultura africâner, algo que seus companheiros passando a estudar o idioma e a treiná-lo com os guardas.54
Em 1969 um carcereiro foi até sua cela informar-lhe que seu filho mais velho, Thembi, havia morrido num acidente automobilístico.55 No dia seguinte Mandela estava junto aos demais prisioneiros, trabalhando na pedreira: tinha que mostrar aos companheiros de cárcere e aos guardas que o drama pessoal não o tinha inutilizado.55 Entretanto é de se observar que Thembi, apesar de morar na Cidade do Cabo, jamais fora visitar o pai na prisão, apesar da proximidade.56 Após esta notícia, escreve em 24 de julho ao segundo filho, Makgatho, observando que ele agora era o mais velho e responsável por manter a união familiar, com a perda do irmão; insiste para que o jovem invista na educação: "As questões que hoje agitam a humanidade exigem mentes treinadas".57
O pequeno claustro de Mandela, na ilha Robben.
Em 1976 Soweto se rebela, resultando numa feroz repressão que causa centenas de mortos; aumenta o isolamento internacional da África do Sul, a partir de então.6
As visitas da esposa Winnie eram raras: de 1958 até 1985 ela sofreu por vinte e quatro vezes prisões, ordens de restrição, banimento e proibições - como em 1974, onde ficou banida na vila de Brandfort. A piorar esse isolamento familiar, Mandela não teve permissão de ver suas filhas Zinzi e Zenani enquanto elas tinham de 2 a 16 anos.58
Em agosto de 1982 o regime assassina, com uma carta-bomba, sua companheira de lutas, Ruth First, que estava exilada em Moçambique; Mandela descreveu o momento: "...me senti quase totalmente sozinho. Perdi uma irmã, uma companheira de luta. Não é consolo saber que ela vive mesmo depois de morta."59
No mesmo ano Mandela foi transferido, junto a outros companheiros, para a Prisão de Pollsmor, de segurança máxima; seis anos depois foi novamente transferido, desta feita para um presídio de segurança mínima - a Prisão de Victor Verster, onde passou a morar numa cabana no complexo penitenciário.60
A mudança para Pollsmoor foi um avanço considerável: situado num agradável subúrbio da Cidade do Cabo, lá a família poderia visitá-lo mais facilmente. Ele e os companheiros Sisulu, Kathrada, Raymond Mhlaba e Andrew Mlangeni passaram a ocupar juntos uma imensa cela, no pátio fizeram uma horta.61
Enquanto isso, em 1985, o CNA empreendeu uma campanha para tornar o país ingovernávelnota 7 ; o presidente Botha chegou a declarar aos seu povo que precisavam "adaptar-se ou morrer". Neste mesmo ano Mandela precisou operar da próstata e foi levado ao Hospital Volks, no Cabo. Na volta, foi conduzido pelo próprio comandante do presídio, que informou-lhe de que não mais retornaria para a cela comum, e ficaria isolado dos demais. Mandela não protestou e, segundo disse mais tarde, aproveitou o isolamento para fazer algo que iria contrariar a todos - ao CNA e os companheiros de cárcere: negociar com o governo; iria agir por conta própria, sem consultar ninguém.61
Escreveu então ao ministro da Justiça, Kobie Coetsee, informando sua disposição - mas teve de esperar por mais de um ano por uma resposta, que veio somente em julho de 1986: resolveu mandar um recado ao diretor, que precisava vê-lo e, uma vez na sala, disse que queria falar com o ministro. O diretor ligou ao gabinete ministerial e Mandela foi convidado a ir até a casa de Coetsee. Lá, informou que queria tratar diretamente com Pik Botha.61
Só depois é que teve atendido o desejo de falar aos companheiros; não pôde fazê-lo com todos ao mesmo tempo, só individualmente lhe permitiram falar; então encontrou-se primeiro com Sisulu, depois Mhlaba e Kathrada, e todos rejeitaram a ideia. Em seguida foi a vez do CNA, dirigido por Oliver Tambo no exílio, em Lusaka (Zâmbia), que lhe cobrou explicações, temeroso.61
Mesmo prisioneiro Mandela foi homenageado mundo afora: em junho de 1983 recebe o doutorado em Direito por seu "compromisso altruísta para com os princípios de liberdade e justiça" pelo City College de Nova Iorque; neste mesmo ano é feito cidadão honorário da cidade grega de Olímpia.62
 

MAIS UM CHULO!


É SEMPRE A ABRIR!
 
ISTO AINDA VAI ACABAR POR PROVOCAR UMA REVOLUÇÃO E O PIOR É QUE EM VEZ DE SER UM 25 DE ABRIL ATÉ PODE SER UM 28 DE MAIO.

Mais uma golpada - Jorge Viegas Vasconcelos despediu-se da ERSE

É uma golpada com muita classe, e os golpeados somos nós....
Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente  de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem,  poucos devem saber para o que serve.
Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem  maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e  risco, não lhe sendo devidos, ela entidade empregadora, quaisquer reparos,  subsídios ou outros quaisquer benefícios.
Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego. Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo:

«Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?».

E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!».
E você volta a questionar-me:

«Então, porque fica o homem a receber os tais 12 000 por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».
Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».
Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE forem mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.

Dizendo ainda melhor:
O senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.

Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, e abusivo desavergonhado abocanhar do erário público.
Mas, voltemos à nossa história...
O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo.
Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético.

E pergunta você, que não é burro:
«Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?».
Parece que não.
A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço.

Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos  aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE? Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo? Politicas à parte, estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

JÁ AGORA FAÇAM LÁ O FAVORZINHO DE COPIAR PARA A V/ LISTA DE AMIGOS, COM A FOTO DO CHULO, PARA QUE FIQUE BEM CONHECIDO!

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Quem que é essa tal de Dilma?

biografiadadilma.wmvbiografiadadilma.wmv
2840K   Transferência  

ASSALTO ORQUESTRADO

ASSALTO ORQUESTRADO

Assalto acontece durante um concerto.
Um dos vídeos mais inteligentes dos últimos anos.
Confesso que torci pelo sucesso dos ladrões.
Atenção especial ao MAESTRO da "quadrilha".
Aumentar o som - a música é de excelente qualidade.
O video é uma obra prima.


http://www.flixxy.com/olsen-gang-elverhoj-overture-comedy-film.htm

"Água - Operação Secreta"

São os próprios alemães que nos avisam...

O IMI, a AGUA e a ELECTRICIDADE vão colocar 90% no limiar da pobreza.
Em Portugal, na Europa, no Mundo inteiro.
Nos pensávamos que se tivéssemos uma casinha, tínhamos uma velhice descansada...
Vale a pena para ver como se tecem as linhas de força dos negócios na UE e divulgar.

NÃO DEIXEM DE VER O ESCÂNDALO.
É PARA ISTO QUE SERVE A COMISSÃO EUROPEIA.

NÃO SEI O QUE OS NOSSOS JORNALISTAS E TVS ANDAM A FAZER

Uma operação da União Europeia que começou a ser experimentada em Paços de Ferreira Reportagem no programa de tv alemão Ard Monitor.

Legendado em português (clique em CC  - 1º símbolo no canto inferior direito do vídeo - janela com 2 riscos para activar as legendas)

Segurança Social explica como se pagará o subsídio de férias aos pensionistas

A Segurança Social emitiu um breve comunicado que a seguir se reproduz no qual explica aos pensionistas qual a expectativa de pagamento do subsídio de férias no decurso do corrente ano:
“(…) Pensões até 600 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja inferior a 600€, recebem o subsídio de férias por inteiro, ou seja, para além da pensão recebem o montante adicional igual ao valor da pensão.
Pensões entre os 600 e os 1.100 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja igual ou superior a 600€ e não exceda os 1.100€ ficam sujeitos a uma redução no subsídio, prevista na Lei n.º 39/2013, de 21 de junho, ou seja para além da pensão, recebem parte do subsídio de férias.
Em dezembro de 2013, no pagamento do restante valor do subsídio de férias, serão feitos os acertos de retenção na fonte em sede de IRS, aplicáveis às pensões recebidas pelos pensionistas desde janeiro de 2013, de acordo com as novas Tabelas de IRS. Os acertos respeitantes à retenção na fonte da sobretaxa em sede de IRS serão feitos em simultâneo.
Pensões superiores a 1.100 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja superior a 1.100€, para além da pensão recebem 10% do subsídio de férias e no mês de dezembro o montante correspondente aos restantes 90%.
Salienta-se que o montante do subsídio de férias pago em julho de 2013, está sujeito aos descontos normais aplicados aos valores de pensão, como IRS, Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) e Sobretaxa. O valor descontado ou deduzido será proporcional ao valor do subsídio de férias que for considerado para pagamento.
Em dezembro de 2013, no pagamento do restante valor do subsídio de férias, serão feitos os acertos de retenção na fonte em sede de IRS, aplicáveis às pensões recebidas pelos pensionistas desde janeiro de 2013, de acordo com as novas Tabelas de IRS. Os acertos respeitantes à retenção na fonte da sobretaxa em sede de IRS serão feitos em simultâneo. (…)”

terça-feira, 25 de junho de 2013

Gestor regressa à CGD após indemnização de meio milhão

João Coutinho vai regressar à comissão executiva da Caixa Geral de Depósitos, de onde saiu há dez anos com uma indemnização de mais de meio milhão de euros, por indicação do Governo.

O "Público" escreve na sua edição de hoje que "João Coutinho está prestes a regressar à comissão executiva do grupo público Caixa Geral de Depósitos (CGD) de onde saiu há cerca de dez anos com uma indemnização de mais de 500 mil euros. A informação não escapou à Comissão de Seleção e Recrutamento da Administração Pública (CRESAP) que validou as competências técnicas de Coutinho para exercer as funções de topo no maior banco português, mas chamou a atenção para este ponto que classificou do foro ético".
Segundo o jornal, "a indicação de João Coutinho para a nova administração executiva da CGD, com mandato até 2016, está a gerar "perplexidade" dentro do grupo financeiro do Estado abrangido pelas medidas de austeridade aprovadas pelo Governo de Passos Coelho, do qual partiu o convite".

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola